Olhe, veja, pense: como olhar para quadros

| By: Lisa Kok

A arte pode ser um desafio, e por vezes até um pouco intimidante, para o espectador esporádico. Acredita-se por vezes que a arte apenas pode ser compreendida pelos especialistas. Mas, felizmente, isto não é verdade. Ser capaz de compreender quadros não é uma aptidão que se tem ou não, é algo que qualquer pessoa pode aprender.​

Lisa Kok - Arte (Moderna)

Não precisa de ter um conhecimento detalhado da história da arte para desfrutar de uma obra de arte ou desenvolver o seu próprio gosto. Só tem que saber como olhar para a arte. Com algumas dicas, pode começar e tornar-se um especialista em quadros.

Quando olhamos para algo, quer seja uma obra de arte ou algo diferente, os nossos cérebros humanos fazem uma leitura e geram significado. A nossa compreensão das imagens tem por base diferentes pistas, muitas vezes até inconscientemente. Portanto, para aprender a olhar para arte, basicamente só tem que abrandar este processo que já está a decorrer na sua mente. São necessários apenas três passos simples, mas muito eficazes, para se tornar consciente sobre este processo.

Passo 1: Olhe

Este passo pode parecer muito óbvio, mas na realidade não é. Muitas vezes as pessoas não tiram tempo suficiente para olhar para as obras de arte. Nos museus, os visitantes passaram, em média, apenas 15 segundos à frente de um quadro. Por isso, comecemos por tirar algum tempo para reparar naquilo para que se está a olhar. Tente prestar atenção ao tamanho, cores e material da obra de arte. Que tipo de formas e linhas são mostradas? Como é a composição do quadro? Que texturas são visíveis?

Todos estes diferentes elementos que são visíveis foram deliberadamente escolhidos pelo artista e, portanto, determinarão a sensação provocada e o significado da obra de arte.

Passo 2: Veja

Ver não é a mesma coisa que olhar. Enquanto que olhar está relacionado com descrever o que está à sua frente, ver requer dar significado a uma imagem. Nos termos históricos da arte, isto tem o nome de iconografia. Vemos símbolos nos quadros e conseguimos interpretá-los.

A iconografia pode ser fácil ou mais difícil de ler, dependendo do quadro. A iconografia do famoso Bal du Moulin de la Galette (1876) de Pierre-Auguste Renoir, por exemplo, é relativamente fácil; reconhecerá imediatamente o que está a acontecer nesta cena. A iconografia de pinturas mais abstratas, como Les Demoiselles d'Avignon (1907) de Pablo Picasso ou até mesmo obras completamente abstratas de Jackson Pollock, são muito mais difíceis de ler. Ainda assim, pode tentar reconhecer formas, linhas ou padrões e ver o sentimento que lhe proporcionam.

Bal du Moulin de la Galetta (1876)

Passo 3: Pense

O último passo é pensar sobre o que observou. Este passo consiste em ligar os dois primeiros passos e pensar em possíveis interpretações. Dar significado é algo subjetivo; não se trata de factos.

O contexto de uma pintura irá ajudá-lo na leitura da obra de arte. Este contexto pode ser encontrado através de legendas e descrições. Estes podem ajudá-lo a colocar o trabalho numa determinada época e a relacioná-lo com um artista ou movimento. Talvez até já tenha algum conhecimento sobre o assunto. Com todas estas informações, será capaz de reunir todas as peças na sua cabeça e chegar à sua própria interpretação.

Tornar-se um especialista

A combinação dos elementos destes três passos produzem significado para um quadro e podem ajudá-lo quando licitar em obras de arte nos leilões semanais de quadros da Catawiki. Não é muito difícil tornar-se um colecionador de arte. Tudo o que realmente precisa é alguma prática, atenção aos detalhes, uma paixão por arte e ganhar o seu primeiro lote.

×

Welcome back! Whilst you were away we added the functionality to view auctions and bid in pounds.