A história dos saltos altos

Ao contrário do que poderia pensar, afinal os saltos altos não foram inventados para a tortura feminina. A história dos saltos altos remonta há milhares de anos atrás, até ao antigo Egipto, e estavam destinados a tortura masculina. Ok, ok, talvez não torturar, mas foram feitos para ser usados por homens.

Antigo Egipto

Evidências iniciais de pessoas que usavam saltos altos podem ser vistas em murais egípcios, com data de 3500 AC. Estes murais mostram que os sapatos com salto eram usados ​​por homens nobres e mulheres, colocando-os num nível mais elevado em relação às classes sociais mais baixas. Um uso um pouco menos elegante para os saltos altos no antigo Egipto; os talhantes costumavam usá-los para manter os seus pés e roupas limpas do sangue.

Roma Antiga e Grécia

Na Grécia antiga e em Roma, os sapatos com salto eram tipicamente usados ​​pelos atores para mostrar a diferença entre as classes sociais e para elevar a importância de um personagem durante uma peça. Estas sandálias de cunha eram chamadas “kothorni” ou “buskins” e as suas cunhas eram feitas de cortiça de madeira. Na Roma antiga, tais sapatos elevados também eram usados ​​por meninas que trabalhavam no comércio de sexo. Nessa época, os saltos altos começaram a ser associados à prostituição.

Pérsia Medieval

Uma teoria diferente sugere que a verdadeira tendência dos sapatos de salto alto surgiu no Império Persa medieval. Os nobres usavam sapatos com saltos para andar, porque os impediam de escorregar dos estribos. Normalmente feitos de materiais decadentes em cores brilhantes, os sapatos chamaram a atenção da realeza europeia durante a visita de um monarca persa em 1500s.

Idade Média

Por volta da mesma altura, ou até mesmo um pouco mais cedo, os sapatos com uma plataforma alta, chamados “pattens”, foram usados ​​por homens e mulheres para manter os seus sapatos caros longe da sujidade no chão. “Chopines”, por outro lado, são os primeiros sapatos de salto alto de que há registo destinados a serem usados apenas por mulheres. O objetivo dos “Chopines” não era muito diferente do dos “pattens”, mas a sua plataforma era muito maior, e, portanto, muitas vezes as mulheres precisavam de ajuda para andar. Não demorou muito para que os “Chopines” se tornassem numa tendência europeia e para que os seus fins práticos fossem deixados para trás.

O Renascimento

Durante o Renascimento europeu, sapatos de salto eram usados ​​por homens e mulheres para simbolizar o seu estatuto social mais elevado. Provavelmente o primeiro par de sapatos de salto alto como os conhecemos (sola baixa e salto alto), foi usado por Catherine de Medici durante o seu casamento com o futuro rei, o duque de Orleães. Desde então nunca mais nada foi o mesmo, não é verdade?

O Período Barroco

O Rei Luís XIV de França era um verdadeiro adepto de moda e fez sapatos de salto alto que estavam disponíveis apenas para a nobreza. Em muitos dos seus retratos, é visto com um variado calçado de salto alto.

Parece que os saltos sempre estiveram relacionados com a ideia de manifestar privilégio, poder e uma classe mais alta, não importa o período ou o sexo. Assim, quer seja homem ou mulher, use os seus saltos com orgulho! E não se esqueça de espreitar os leilões de moda semanais da Catawiki, onde pode encontrar sapatos de salto alto vintage e modernos de estilistas.