A história do uísque - e como investir nele

By: Anne-Sophie Bigot

O uísque tem uma história longa e fascinante, desde os dias negros da “Whisky Rebellion” até se tornar na bebida colecionável que é hoje. Os celtas antigos chamavam o material uisge beatha, que se traduz como "água da vida". Então, como é que uma bebida considerada tão necessária passou a estar associada por alguns com rebelião - e, mais recentemente, como um artigo altamente colecionável?


Anne-Sophie Bigot - Leiloeiro Uísques

Uma variação de uísque estava a ser usada para cerimónias religiosas ao longo da Idade Média, tendo surgido na Escócia através de monges cristãos. Sem uvas e com poucas oportunidades de fazer vinho, os escoceses e irlandeses usavam grãos para preparar cerveja e destilar uísque. Em 1494, os escoceses estavam a ganhar a reputação de produzir uísque e estava a ficar popular.

Moonshine

O uísque ficou pela primeira vez associado à rebelião em 1541, quando o rei Henrique VIII fechou mosteiros na Escócia e os monges começaram a produzir uísque de forma privada. Umas centenas de anos depois, foi criado um imposto para parar com a produção privada de álcool, mas os escoceses continuaram a produzir uísque ilegalmente. O fumo dos fogos necessários para produzir uísque era algo que dava nas vistas, por isso, os rebeldes preparavam a cerveja de noite e o uísque foi apelidado de “moonshine”.

Do outro lado do mundo, as autoridades americanas fizeram o mesmo e dificultaram a compra dos ingredientes necessários para produzir uísque, mas os agricultores encontraram soluções e deram início à grande “Rebelião do Uísque”. Em 1823, a Grã-Bretanha legalizou a produção de uísque com um sistema de licenças, o que levou a formas inovadoras de fabrico e destilação, para que o uísque pudesse ser produzido com maior rapidez e qualidade.

A proibição nos Estados Unidos começou em 1920, com proibições relativas ao fabrico, transporte e venda de álcool. Embora a proibição tenha sido levantada em 1930, demorou um pouco para a indústria de bebidas conseguir recuperar - e, quando isso aconteceu, os consumidores estavam mais interessados nas bebidas espirituosas do que no vinho e cerveja que podiam escolher antes. Durante o século 20, o uísque passou a estar associado a atitudes dissidentes, música rock e problemas. Muitas músicas de rock, começando pelos primeiros temas de blues, falavam sobre noites de uísque e as suas consequências, com artistas como AC/DC, Van Halen, The Doors, Lynyrd Skynyrd, Thin Lizzy e ZZ Top a contribuir para o género.

O uísque como um investimento

Não é  uma grande surpresa que o uísque se tenha tornado um artigo favorito para um investidor. No ano passado, uísque raro superou o vinho e o ouro como um investimento e os  analistas dizem que vai continuar a aumentar em valor e popularidade.

Ter uma visão de longo prazo sobre o uísque é a chave. Espere ficar com uma garrafa por oito a 10 anos antes de a vender para ter lucro. Ao comprar para investir, procure os uísques antigos que foram agora descontinuados e substituídos por versões novas - ou garrafas de destilarias que fecharam, tais como Brora ou Rosebank.

Além disso, procure o número de garrafas produzidas - quanto menos, melhor. Até à data, a garrafa mais cara vendida em leilão foi The Macallan 6-liter "M" Decanter por Lalique, que arrecadou £393.109. O seu preço refletiu, em parte. que apenas tenham sido produzidas quatro decanters.

Os fabricantes japoneses estão a crescer particularmente neste momento, com destilarias como Venture Whisky a chamar a atenção dos investidores.

Para começar uma coleção, veja os nossos leilões semanais de uísque, onde pode ver uísques de todo o mundo. É o lugar ideal para começar a procurar pelos seus próprios investimentos na água da vida.

×

Welcome back! Whilst you were away we added the functionality to view auctions and bid in pounds.