Por que é uma boa altura para começar a colecionar vinil

O vinil está de volta e a girar mais rápido que nunca nas nossas vidas. Uma surpreendente história de sucesso, numa indústria em grande parte dominada pelo digital, que no ano passado atingiu as suas maiores vendas desde 1988. Um investimento sólido e de qualidade, pode encontrar estes cobiçados e colecionáveis sons do passado nos nossos leilões semanais de discos.

Por Jeroen Hamelink

Quando penso em vinil, vêem-me à ideia duas coisas. Em primeiro lugar, a minha infância, quando o meu pai punha a tocar Cream, Jimi Hendrix, Pink Floyd, The Beatles e Led Zeppelin, durante horas a fio, no seu antigo, mas totalmente funcional, gira-discos. Aos 64 anos de idade, a sua geração desfrutou do auge da era do vinil. Em segundo lugar, pensei como era estiloso um hipster a exibir as suas fantásticas capas de discos de vinil na universidade, provavelmente nunca os tendo tocado ou até mesmo sem sequer saber como o fazer.

Em 2016, no entanto, já não são apenas os mais alternativos ou os que eram jovens nas décadas de 60 e 70 a manter esta antiga chama viva e a girar. Surpreendentemente, como todos os outros formatos de vendas de música estão numa espiral descendente, o renascimento do vinil está a aumentar em volume e isto deve-se em grande parte a pessoas nascidas já no final do antigo milénio. Em 2015, a Music Watch comunicou que os consumidores com idade inferior a 25 anos compraram metade das vendas de vinil nos Estados Unidos. Isso representa uns fantásticos 6 milhões de discos comprados por jovens. O lado táctil do vinil parece estar a proporcionar uma nova experiência de ouvir música e a criar um envolvimento com a música que está a ser absorvida por adolescentes curiosos da geração do twitter e do instagram. Ainda mais surpreendente, eles estão mais interessados ​​em investir em discos antigos e conjuntos de edição limitada do que nos êxitos actuais.

 

Êxitos actuais

Os músicos actuais não estão, no entanto, alheios a isto. O álbum “25” de Adele e o “1989” de Taylor Swift  estiveram ambos no top 5 de vendas de vinil em 2015. Mesmo o Mr. Justin Bieber vende surpreendentemente bem em vinil. No geral, em 2015, as vendas nos EUA aumentaram 30%, com 12 milhões de discos vendidos. Um aumento espantoso comparando com 2014, quando as vendas atingiram o máximo de 9 milhões. No Reino Unido, espera-se que o vinil passe a barreira dos 3 milhões até ao final de 2016.

 

É por isto que deve investir em vinil

Além do mais, se investir numa coleção de vinil, o seu gosto e respeito pela música irão aumentar cem e um por cento. Embora os artistas populares recentes sejam lucrativos, a maioria dos colecionadores ouvem artistas da época áurea do vinil. Prevê-se que Blackstar de David Bowie seja o álbum mais vendido de 2016, seguido de perto pelos antigos e grandiosos Miles Davis, Frank Sinatra, Fleetwood Mac e Pink Floyd. Simbólico de uma época que não é definida pelo sucesso comercial, boy bands ou gerida pelos contabilistas das discográficas, estes discos contam-nos uma história que não pode ser descoberta com o clique de um dedo.

David Bowie - Blackstar

Além de que não está apenas a investir em música de qualidade, mas também numa obra de arte de qualidade. O formato quadrado da capa é parte integrante da experiência e até foi responsável por lançar as carreiras dos artistas Andy Warhol, Roger Dean e Burt Goldblatt. Os seus desenhos criaram uma linguagem visual para a música e transformaram os discos nalgumas das obras de arte mais globalmente reconhecidas até aos dias de hoje. Seja inteligente e invista agora pois o preço e a procura destas deslumbrantes obras-primas visuais apenas irá aumentar. No final dos anos 60, o álbum icónico dos The Beatles SGT. Pepper's Lonely Hearts Club Band custava cerca de 2 ou 3 dólares. Hoje, um original desta altura tem um valor estimado na casa de leilões da Catawiki de $280.

 

Por outras palavras, o vinil é o leite gordo e o digital é o leite meio-gordo. Tecnicamente, o digital pode ser um pouco mais limpo, mas muitos elementos benéficos acabam por ser filtrados. A diferença não é enorme, mas o vinil proporciona um som mais rico e mais completo, que o irá manter satisfeito por mais tempo, tornando-se um investimento de confiança.

 

Não lhe chame um regresso, o vinil está aqui há anos. É hora de enfrentar a música, a verdadeira música e começar agora a sua coleção de vinil! Espreite os nossos leilões semanais de discos para ver quais as peças vintage que estão a um preço imbatível para si.