Objectos excepcionais

A Vespa mais antiga do mundo!


Qual é um dos símbolos mais representativos e famosos de Itália? Evidentemente é a Vespa! Se gosta do mundo das motos e em particular as vepas, prepare-se porque temos uma surpresa: leiloamos a scooter mais antiga do mundo! O nosso profissional de motos Davide Marelli está hoje em Catawiki para explicar a origem e a criação destas motos 


Escrito por Davide Marelli - especialista em motos clássicas



A moto-scooter
A lendária Piaggio nasceu no contexto da Segunda Guerra Mundial. O dinâmico Enrico Piaggio, responsável por uma empresa fabricante de aviões e comboios, sempre se manteve informado sobre o mercado e sobre as tecnologias do mercado americano. Ai descobriu as "moto-scooters". Tratava-se de um veículo motorizado de duas rodas, com pouca velocidade e rodas de diâmetro reduzido, utilizado para pequenas deslocações citadinas. Um veículo leve e fácil de guardar num reboque ou num barco. Na verdade, o fenómeno das scooters não chegou a ser um fenómeno nacional nos EUA, mas nas décadas de 1920 e 1930 era possível encontrar dezenas de milhares nos EUA.  Em tempo de guerra, com as fábricas Pontedera destruídas pelos bombardeamentos dos Aliados e com os equipamentos evacuados em diversas localização em Piedmont, o líder da Piaggio ordenou aos seus engenheiros que criassem uma nova moto, uma moto para todos, numa tentativa de conseguir uma lufada de ar fresco depois da guerra. No entanto, nos documentos originais esta nunca é referida como uma scooter, mas sim como uma moto.

O primeiro projeto: Paperino
Entre 1944 e 1945 surgiram diversos projetos. O primeiro, denominado MP5, foi desenvolvido pelo engenheiro Renzo Spolti. A moto de Spolti, denominada Peperino, demonstra já as principais características do que viria a ser uma Vespa típica: 1 - Estrutura de suporte em chapa metálica, sem utilização de um quadro tubular; 2 - Proteção total do condutor, quer contra a sujidade da estrada, quer do motor e das substancias oleosas do motor, que está totalmente oculto sob uma estrutura de chapa metálica.


Foram produzidos aproximadamente 100 exemplares do modelo MP5, disponibilizados para venda de forma regular e posteriormente em simultâneo à Vespa. No entanto Enrico Piaggio não ficou 100% convencido em relação ao produto por isso pediu a outro designer que fizesse uma revisão a este modelo.

Corradino D'Ascanio assume o novo projeto
Corradino d’Ascanio é um engenheiro aeronáutico que fazia já parte da empresa. Denomina-se a si próprio de “inventor”, ter um carácter nada convencional e até alega que detesta motos. D’Ascanio é o pai da Vespa, Piaggio escolheu-o precisamente devido à sua "crítica sincera" face ao tipo de veículo, neste caso uma moto real.

Para todos os efeitos, o projeto MP6 (Piaggio Motorcycle no.6) constitui a primeira verdadeira Vespa. D’Ascanio não rejeitou totalmente o trabalho desenvolvido pelo seu colega, Spolti, na verdade a parte da frente da moto é completamente idêntica, mas alterou a estrutura deslocando o motor, um elemento-chave, do centro para trás para perto da roda do lado direito. Desta forma libertou a zona central que se torna a única ligação entre a parte de trás e a frente através do pousa-pés.  Isto resolveu o problema de subir para a moto. O motor é coberto por uma estrutura arredondada que está também presente do lado direito para efeitos de simetria e que serve como caixa de ferramentas. O motor é de dois tempos e cilindro único com um sistema de refrigeração por ar forçado. Esta solução é necessária para garantir a adequada refrigeração do cilindro visto que este está coberto e protegido por uma estrutura de alumínio. Esta solução nunca foi alterada durante os 71 anos de vida da Vespa de Pontedera.

Nascimento da "Série 0"
Em 1946, aproximadamente um ano depois do fim oficial da guerra, foi colocada à venda a primeira Vespa. Trata-se do modelo de 98cc (também produzido numa versão de 125cc, apenas para o mercado estrangeiro). Este modelo tem características especiais e únicas que o tornam diferente do modelo seguinte, o 125 de 1948. A Vespa 98 não tem suspensão traseira, esteve no mercado durante dois anos, entre 1946 e 1948 e foram produzidas aproximadamente 15000 unidades. As primeiras 60 são conhecidas como "Série 0". As scooters Vespa da série 0 são, para todos os efeitos, um produto de fabrico manual produzido através do corte e soldadura de chapas metálicas. O número de chassis, a começar em 1001, encontra-se marcado em diversas partes dos veículos, porque o montador tinha que adaptar manualmente todas as peças ao próprio chassis. O número é visível no próprio chassis, na parte da frente por baixo do banco, na tampa do motor, nos perfis de alumínio do pousa-pés e até no silenciador. Após estas 60 unidades, o fabricante melhorou o processo de industrialização, subcontratando a produção das peças de aço do chassis a fornecedores externos, incluindo a Alfa Romeu. Atualmente apenas sabemos da existência de 3 scooters Vespa da Série 0. A mais antiga, a que tem o chassis número 1003 (a terceira Vespa produzida) encontra-se em leilão na Catawiki.

Se quer saber mais sobre este lote único, visite o nosso Leilão de Scooters. A partir de 17 de março poderá licitar, e quem sabe comprar, a Vespa mais antiga do mundo ou diversas outras scooters Vespa clássicas no nosso leilão quinzenal dedicado a scooters.

Crie a sua conta na Catawiki de forma gratuita

Na Catawiki, ficará surpreso todas as semanas com a seleção impressionante de objetos especiais que temos para oferecer. Inscreva-se ainda hoje e explore os nossos leilões semanais com curadoria da nossa equipa de especialistas.

Criar uma conta
Share this article
Close Created with Sketch.
Ainda não está registado?
Ao criar a sua conta gratuita na Catawiki, poderá licitar num dos 50 000 objetos especiais que temos para leilão todas as semanas.
Registe-se agora